BahiaBrasilCidadeCulturaFeatured

Bahia tem a menor taxa de analfabetismo do Nordeste

Essa conquista é resultado do empenho da Secretaria de Educação do Estado (SEC), que implementou diversas iniciativas voltadas para a alfabetização de jovens, adultos e idosos. Entre elas, destaca-se o Projeto Estadual Paulo Freire, que busca alfabetizar pessoas matriculadas nas redes municipais de educação, com especial atenção para aqueles com mais de 65 anos. O projeto, realizado em parceria com as universidades estaduais, investe na formação de professores alfabetizadores e educadores sociais, abrangendo diferentes faixas etárias e garantindo o acesso à educação para todos.

Outra iniciativa de destaque é o Projeto “Sim, Eu Posso”, desenvolvido em parceria com a Universidade do Estado da Bahia (UNEB), que visa erradicar o analfabetismo de forma rápida e eficaz. Lançado em 2023, o projeto oferece a possibilidade de alfabetização em curto período, contribuindo para a inclusão educacional de um número maior de pessoas.

Além disso, a Secretaria da Educação do Estado investe no programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA), que conta atualmente com cerca de 125 mil matrículas em 1025 escolas em todo o estado. Essa modalidade de ensino tem sido fundamental para proporcionar oportunidades educacionais para aqueles que não tiveram acesso à escola na idade convencional.

O governo estadual também tem priorizado a construção e modernização de escolas em toda a Bahia, garantindo que a população tenha acesso à educação de qualidade. Desde 2023, foram inauguradas 44 novas unidades e outras 38 foram ampliadas e modernizadas, proporcionando um ambiente propício para o aprendizado.

Além disso, o governo tem investido em uma educação antirracista e na valorização das populações indígenas. Com cerca de 7.360 estudantes matriculados em escolas indígenas, construídas especialmente para atender às demandas dessas comunidades, o estado reforça seu compromisso com a inclusão e a diversidade.

A recente sanção da lei que reestrutura a carreira dos professores indígenas do quadro do Magistério Público do Estado evidencia o comprometimento do governo com a educação e a valorização dos docentes e gestores indígenas, consolidando o estado como referência em políticas educacionais inclusivas e equitativas.

 

 

Varela Net

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar