BahiaCovid-19FeaturedSaúde e Bem Estar

Secretaria de Saúde de Porto Seguro recebe 40 mil doses de medicamento para combater Covid-19

A Secretaria de Saúde de Porto Seguro, cidade no extremo sul da Bahia, recebeu 40 mil doses de hidroxicloroquina para combater a Covid 19 no município. Os medicamento chegaram nesta sexta-feira, após a médica Raíssa Soares, que faz parte do Comitê de Combate a Covid em Porto Seguro, fazer um pedido ao governo federal.

No dia 17 de junho, a Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou a suspensão, pela segunda vez, dos ensaios clínicos com hidroxicloroquina contra a Covid-19. Segundo a entidade, as evidências científicas apontam que a substância não reduz a mortalidade em pacientes internados com a doença.

A OMS disse que não foram encontrados benefícios no uso da hidroxicloroquina contra a Covid-19. A entidade já havia suspenso os testes com a substância, que é usada para tratar doenças autoimunes e alguns tipos de malária, no dia 25 de maio. Depois, entretanto, retomou os ensaios.

A subsecretária de Saúde da Bahia, Tereza Paim, alertou sobre a falta de estudos sobre o uso da hidroxicloroquina.

“Quando a gente trabalha com estudos, o que a gente quer saber é: mudou a mortalidade? As pessoas deixaram de morrer porque usaram a medicação? Comprovadamente, os estudos não nos esclareceram isso. E, para além disso, a falta da recomendação para Covid é exatamente essa alteração de ritmo cardíaco que deixa o paciente vulnerável. Então, o risco de morte não é tão benéfico pra que a gente diga que use o medicamento. A gente gostaria, realmente, de ter algo que pudesse proporcionar à população [algum benefício], ninguém está afastando isso da população, mas a gente precisa ter recomendação científica“, disse.

Os medicamentos recebidos em Porto Seguro vão ser destinados aos pacientes que buscarem a rede pública de saúde. Estima-se que 6.500 pessoas serão beneficiadas com os remédios.

“A gente vai fazer o fracionamento e a gente vai distribuir pra todas as unidade de saúde”, explicou Ibis Carvalho, superintendente da assistência farmacêutica de Porto Seguro. Segundo ela, nos postos já tem azitromicina, vitaminas e zinco, que também fazem parte do kit de tratamento a pacientes com Covid-19.

A Prefeitura de Porto Seguro publicou em maio um protocolo para o uso da hidroxicloroquina no tratamento precoce da covid-19. A médica Rayssa Soares disse que o medicamento tem se mostrado eficaz, se tomado na fase inicial da doença, porque, segundo ela, acaba com a carga viral antes mesmo dos pulmões inflamarem.

“A aplicação do protocolo que consta com azitromicina, ivermectina, em associações azitromicina, anitta, azitromicina e hidroxicloroquina, tendo junto vitamina D, zinco e vitamina C, a gente observa aqui em Porto Seguro que quem usou o protocolo não evoluiu a óbito. É claro que existem ainda muitas polêmicas, muitas dúvidas, mas o que a gente percebe é que as pessoas que estão tendo acesso ao remédio conseguem, na fase viral, com dois dias de sintomas, usar medicamento pra inibir a doença cortam todo mal-estar em dois dias”, afirmou a médica Raíssa Soares.

Porto Seguro tem, hoje, mais de 601 casos confirmados da Covid-19. Sete pessoas morreram desde o início da pandemia. O secretário de Saúde do município, Kerrys Ruas, acredita que muitas mortes foram evitadas por conta do execução do protocolo precoce, mas faz um alerta importante.

“É imprescindível a avaliação do médico. Quem vai prescrever [o remédio] é o médico das unidades de saúde e redes de urgência. Não é pra ninguém se automedicar. As pessoa têm que ser avaliada pelo médico para saber qual tipo de tratamento é indicado pra cada paciente”, disse o secretário. (g1)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar