BahiaCovid-19Saúde

Covid-19: Fábio Vilas-Boas prevê platô para fim de junho

Unidade deveria ter sido aberta na última sexta-feira (5), mas depende de equipamentos e de ajuste estrutural para ser inaugurado.

A Bahia está próxima de atingir o platô da curva de crescimento dos casos de coronavírus, segundo afirmou, nesta segunda-feira (8), em entrevista ao Jornal da Manhã, o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas Boas, afirmou. De acordo com ele, a taxa de novos casos da doença ao dia é de aproximadamente 5%, índice considerado positivo, principalmente ao se levar em consideração que há algumas semanas chegou a ser de 9%.

Diante do atual cenário, o secretário tem a expectativa de que o estado chegue ao platô da Covid-19 no fim de junho, com um decréscimo de novos casos da doença logo na sequência.

“A taxa de crescimento vem se mantendo de forma sustentada ao longo dos últimos dias abaixo de 5%, que era nossa meta quando estávamos em 9%. Quanto mais baixarmos, mais teremos chances de conseguir vencer o mês de unho e julho sem qualquer tipo de dificuldade em relação a oferta de leitos. Da mesma forma, quanto mais baixamos a taxa de contágio, e como estamos trabalhando com uma taxa de crescimento de curados acima de 10% ao dia, mais cedo encontraremos essas duas curvas. A taxa de casos novos e a de curados. Quando elas se encontrarem, atingiremos um platô e, a partir daí, teremos uma queda no número de casos. A previsão é que isso possa já acontecer no final de junho”, explicou o secretário.

De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde (Sesab), a Bahia possui 28.250 casos confirmados de coronavírus. Com relação à taxa de ocupação, dos 1.978 leitos disponíveis do Sistema Único de Saúde (SUS) exclusivos para coronavírus, 1.093 possuem pacientes internados, o que representa uma taxa de ocupação de 55%.

Com relação aos leitos de UTI adulto e pediátrico, dos 814 leitos exclusivos para o coronavírus, 554 possuem pacientes internados, compreendendo uma taxa de ocupação de 68%.

“Tivemos alguma dificuldade nas duas semanas anteriores, em que nossa capacidade de ofertar leitos estava se posicionando um pouco mais lenta que a necessidade da população. Mas hoje, com a abertura de vários leitos em várias unidades do estado, inclusive o hospital da Arena Fonte Nova, conseguimos ter uma folga relativa, estamos nos mantendo de forma sustentada abaixo de 70% de UTI na capital e menos ainda no interior do estado”, afirmou Vilas-Boas.

O número de leitos na região extremo sul do estado deve crescer nos próximos dias, com a inauguração do hospital de campanha de Teixeira de Freitas.

A abertura da unidade estava prevista para a última sexta-feira (5), porém os 20 respiradores só foram entregues no último fim de semana. A ausência de outros equipamentos e um problema estrutural também impedem a abertura para pacientes.

“Os respiradores que o hospital de campanha recebeu, os dez de transporte, são equipamentos robustos, que servem para a ventilação de pacientes em UTI. Hoje, se houver necessidade de ocupar os 20 leitos, os 20 estarão operacionais. Os demais equipamentos já foram enviados pelo governo do estado. Mas existe um problema estrutural, que estamos com problemas para viabilizar nos últimos dias, que é a conexão com a rede de oxigênio do Hospital Municipal de Teixeira de Freitas. Esse hospital foi montado no estacionamento, e a empresa responsável por isso depende de um ajuste no compressor”.

“Se nós analisarmos os dados das últimas 72 horas, já observarmos uma redução na taxa de contágio, que já chegou a 29%, ela agora está em torno de 10%. Ainda é muito alta, tem muito por ser feito. O resultado dessas intervenções será visto ao longo dos próximos dias”, finalizou. (G1)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar