FeaturedPolicial

Noivo confessa ter matado Amanda Bueno e diz que teve um ‘surto’


Miltinho da Van se disse arrependido; polícia apura ligação com milícia.
Vídeo mostra agressões e tiros que mataram a dançarina de funk.

Milton Severiano Ribeiro, conhecido como Miltinho da Van, confessou nesta sexta-feira (17) na delegacia o assassinato da dançarina de funk Amanda Bueno. Em depoimento, ele disse que teve um “surto” e que está arrependido do crime, segundo o advogado Hugo Assumpção.

Segundo a Divisão de Homicídios da Baixada, será inves

tigada uma suposta ligação de Milton com milícias. Ele tem duas passagens anteriores pela polícia por agressões a mulheres. “Ele já tem um histórico de violência doméstica”, explicou o delegado Fábio Cardoso.

Segundo o delegado, o crime pode ter sido motivado por ciúmes. Amigas da funkeira, que não quiseram ser identificadas, contaram ao G1 que ela parou de dançar a pedido do noivo. Ela é ex-integrante da Jaula das Gostozudas e da Gaiola das Popozudas

dancarina2

Imagens divulgadas nesta sexta pela página no Facebook do Radar Costa Verde mostram o momento em que a dançarina Amanda Bueno, de 29 anos, foi agredida e baleada antes de morrer.

Segundo a polícia, a dinâmica do crime corresponde à do vídeo, que é analisado como prova – nesta reportagem, as imagens foram editadas por conter cenas fortes.

Pouco depois, Miltinho foi preso com um carro roubado na porta da casa deles e capotar na fuga. O roubo também foi registrado pelas câmeras. Quatro armas, incluindo uma escopeta semelhante à que aparece no vídeo, foram encontradas no veículo.

Noivos há 4 dias
Amanda Bueno, que na verdade se chama Cícera Alves de Sena, ficou noiva de Miltinho da Van, de 32 anos, quatro dias antes do crime. Ele ganhou este apelido por trabalhar com transporte alternativo em Nova Iguaçu.

O assassinato ocorreu na casa do casal, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, no fim da tarde desta quinta-feira (16). As imagens de câmeras de segurança mostram um homem e uma mulher saindo pela porta. Eles caem no chão do jardim e ele começa a bater com a cabeça dela na pedra, antes de dar vários socos no rosto da mulher, já sem reação.

Em seguida, o homem se levanta, volta com uma arma e dispara contra a mulher. A gravação corresponde à dinâmica do crime descrita por policiais. Investigadores confirmaram que o vídeo está sendo analisado pela polícia como prova.

Foto: Cristina Boeckel/ G1)
Fonte: G1

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar