BahiaCovid-19Featured

Corpo de Elsimar Coutinho é cremado com homenagens e muita emoção

Ele era uma pessoa incrível, com a mente brilhante’, disse sobrinha; cerimônia foi fechada para amigos e familiares, no cemitério Jardim da Saudade, em Salvador

O corpo do cientista e médico baiano Elsimar Metzker Coutinho foi cremado na tarde dests terça-feira (18), às 17h30, em uma cerimônia fechada para amigos e familiares, no cemitério Jardim da Saudade, em Salvador. A despedida começou às 15h e foi marcada pela aplicação das regras de distanciamento social e por muita emoção.

Uma das maiores referências em planejamento familiar do país, o ginecologista estava internado com covid-19 desde 20 de julho e morreu nesta segunda-feira (17).

A imprensa não pôde acompanhar de perto a cerimônia e ficou a cerca de 500 metros de distância o crematório. No local, segundo apurado pelo CORREIO, o corpo do doutor Elsimar Coutinho ficou a todo momento na área de incineração. Ou seja, não houve a chamada celebração de corpo presente.

No lugar, o padre Adão Mazur, da Paróquia Ressureição do Senhor, de Ondina, fez a celebração de encomendação da alma. O espaço é dividido em dois módulos, um que ficou exclusivo para a família, onde fotos enormes e coroas de flores foram espalhadas, e outro para os amigos e demais presentes.

A sobrinha de Elsimar, Anelisa Coutinho, foi até o cordão de isolamento para falar com a imprensa. “Ele era uma pessoa incrível, com a mente brilhante. Um excelente pai de família, não só para os filhos de sangue, mas todos os adotados de coração. Era uma pessoa incrível, que sempre fez o bem e com muita humildade, mesmo com o brilhantismo. E com todo o bem que ele fez para a ciência, trabalhar era o que ele mais gostava de fazer. A gente está extremamente triste. É uma tristeza profunda. Esse é o momento que a gente não queria viver”, disse.

Desde 10h da manhã, quando o corpo chegou no cemitério, a todo o momento o local recebeu a visita de admiradores do médico, que levaram flores, corbelhas e cartões que foram entregues para a família de Elsimar. O prefeito ACM Neto também enviou uma coroa de flores para a família.

Uma das pessoas que esteve presente foi a farmacêutica Solange Filho, que fez um tratamento de ovários com o doutor e foi acompanhada por ele durante 30 anos. “Uma médica disse que eu iria precisar tirar os dois ovários. Eu fui atrás dele, pois o que se dizia era que se ele não resolvesse, não teria jeito mesmo. E ele foi e resolveu com o seu tratamento hormonal. Graças a ele, minha autoestima feminina foi recuperada”, contou.

“Depois levei outras pessoas que fizeram tratamento com ele e puderam ter filhos. Eu só não tive por opção pessoal. O doutor Elsimar trouxe felicidade para muitas mulheres. Ele ajudou a construir lares, famílias. Esse legado será levado para sempre”, disse Solange.

Outras pessoas da comunidade médica também estiveram no local. O médico e amigo pessoal Roberto Badaró, que é diretor do Hospital Espanhol, exclusivo para covid-19, e acompanhou o estado de saúde de Elsimar Coutinho, comentou a perda. “É uma perda enorme para a ciência baiana. Vou sempre lembrar dele como aquele homem que gostava muito de trabalhar, estudar, de ler. Até nos seus últimos dias ele conversava comigo sobre os artigos científicos, as coisas que saíram nas revistas internacionais”, disse o médico.

Fonte: Correio da Bahia

Foto: Divulgação

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar